8 de julho de 2015

Rio de janeiro com bebês e crianças pequenas – Jardim Botânico

Por Julie Ana Speedy

Uma das coisas que eu mais gosto sobre morar no rio de janeiro é que a cidade é “family friendly(amigável para as famílias). São várias atrações para a família toda, desde os pequenos até os mais idosos (e não estou falando em shopping center...). E o melhor de tudo é que a cidade oferece várias atividades que podem ser aproveitadas por todo o mundo, JUNTO. 

Uma das principais atrações que recomendo para famílias com crianças ou bebês é o Jardim Botânico do Rio de Janeiro. O parque é fechado (paga-se uma pequena entrada), com segurança, e uma área imensa de natureza. Um verdadeiro oásis no meio da cidade grande! Ótimo para caminhar, relaxar, respirar ar puro... Um passeio super interessante para a criançada, que pode conhecer a coleção botânica do parque, ver pequenas cachoeiras, sem contar a grande chance de ver alguns animais silvestres, como macacos, pássaros e até alguns lagartos “gigantes”.





 Ah, e dá para empurrar o carrinho do bebê sem problemas!



Dentro do Jardim há ainda um parquinho especialmente para os pequenos, com vários brinquedos e um fraldário. O parquinho fica ao lado de uma das lanchonetes do parque.

(Foto da internet)
Quem não quiser recarregar as energias na lanchonete, recomendo o Bistrô La Bicyclette, ao lado da bilheteria do parque. Dá para a família toda lanchar, e a criançada ainda pode se divertir com uma mesinha com papéis e giz de cera (ou tirar um cochilo depois de brincar muito!).

De quebra, o local ainda rende lindas fotos em família!



COMO CHEGAR

  • De Carro
Para quem vem de carro, a melhor opção de estacionamento é no Jockey Club da Gávea, em frente ao Jardim Botânico (que não conta mais com estacionamento). O preço do estacionamento é de R$30,00 o período único (valores de 07/2015), e visitantes do Jardim Botânico têm 20% de desconto. Para obter o desconto, é preciso pedir o selo de estacionamento na bilheteria do Jardim Botânico e apresenta-lo quando for pagar o estacionamento.

  • Transporte público
Outra opção é pegar o metrô até a estação Botafogo e de lá o metrô na superfície (ônibus) para o Jardim Botânico. O valor da passagem é R$3,70, incluindo os 2 transportes, e é preciso pedir o ticket “metrô + ônibus na superfície” na bilheteria. 

QUANTO CUSTA

O ingresso no Jardim Botânico custa R$9,00 (valores de 07/2015). Crianças até 7 anos e idosos até 60 anos têm gratuidade. Mais informações no site oficial do Jardim.





4 de julho de 2015

Onde comer em Tiradentes: Os restaurantes “estrelados”

Por Julie Ana Speedy

A cidade de Tiradentes é conhecida nacionalmente não apenas por seu belíssimo centro histórico e importância cultural, mas também pela forte presença na cena gastronômica do país, com vários restaurantes “estrelados”. Só para ter uma ideia, a cidade é considerada a 2ª maior em termos de culinária do estado de Minas, atrás apenas da capital, BH.

A maioria dos restaurantes abre apenas para o jantar (a partir das 19hs) e é aconselhável fazer reserva, principalmente em alta temporada. 

Das duas noites que ficamos em Tiradentes, tiramos uma para ir a um restaurante “badalado”. A Rua Direita abriga a maioria destes restaurantes, e fomos com alguns nomes em mente, mas nada “decidido”. O primeiro restaurante que paramos foi o Tragaluz, faltando ainda uns 5 minutos para a abertura. Conseguimos uma mesa mesmo sem termos feito reserva, já que era baixíssima temporada. Mas a atendente foi meio rude e disse que tínhamos que esperar o restaurante abrir, do lado de fora, na chuva, com um bebê de colo. Ah, tá! Para mim, um restaurante não vive apenas de boa cozinha, precisa também ter um bom atendimento ao público! Desistimos!

Fomos então ao Pacco & Bacco, poucos metros adiante, e fomos muitíssimo bem recebidos.




Os pratos estavam deliciosos, com ótima apresentação. Dividimos uma entrada (tábua de queijos), eu pedi como prato principal o “Bacalhau de Sant´Anna” e o meu esposo o cordeiro (esqueci o nome do prato). Tudo MUITO gostoso, criativo (adorei a mistura diferente de ingredientes) e bem apresentado. Bacalhau tão bom quanto aquele só o da minha tia portuguesa! 

Para acompanhar, um bom vinho! O restaurante tem uma carta de vinhos bem bacana, com opções para todos os bolsos. 

Ah, sem contar que os garçons esquentaram a papinha do Vincent no micro-ondas do restaurante e um deles ainda se prontificou a segurá-lo por uns 5 minutos pra gente terminar de jantar (estava tudo tão bom que acho que demoramos “tempo demais” no jantar – para padrões “pais com criança pequena”, mesmo nosso filho que é bonzinho não aguentou a espera... hehe).






INFORMAÇÕES IMPORTANTES: 1. Os pratos são bem servidos! Quem não come muito, dá pra dividir, principalmente se pedir uma entrada antes; 

2. Vale a pena chegar cedo! Quando fomos, eles estavam com uma promoção: pedidos feitos até às 20hs ganhavam 20% de desconto!!! Também nas bebidas (inclusive carta de vinhos!). 

Nossa conta ficou em cerca de R$200 para o casal, com 2 pratos principais, entrada e uma garrafa de vinho (já com o desconto). Valeu muito a pena!

Dica de restaurante no Jardim Botânico do Rio de Janeiro – Bistrô La Bicyclette

Por Julie Ana Speedy

Muita gente sabe que o Jardim Botânico do Rio de Janeiro é uma das principais atrações da cidade.

Mesmo com pouco tempo de “existência”, um dos principais “points” do Jardim é o bistrô que está localizado dentro do parque, o Bistrô La Bicyclette.

Este charmoso restaurante, famoso pelos seus pães artesanais, é uma das melhores opções da cidade para quem quer um lanche gostoso e “gourmet”. 





Seja para um café da manhã, “brunch” (algo entre café da manhã e almoço) ou um lanche na tarde! São várias opções de sanduíches gourmet, sucos naturais, tábua de queijos e frios, além de uma boa carta de vinhos.

O ambiente do local é tão gostoso quanto os seus pratos. Conta com várias mesas do lado de fora, ao lado do Jardim Botânico, ou seja, ar puro, muito verde e clima tranquilo.

O local é ótimo para famílias, inclusive possui uma mesinha para os pequenos com papéis e giz de cera!

Ah! E uma boa notícia! O bistrô fica localizado ao lado da bilheteria do Jardim Botânico (entrada do antigo estacionamento - Rua Jardim Botânico, 1008). Ou seja, não é preciso pagar para entrar no parque para usufruir desse restaurante! E os preços dos pratos lá são super justos e acessíveis, nada de preços exorbitantes.

Para mais informações, veja o site oficial do restaurante.

Obs.: Este NÃO é um “publipost”, ou seja, a blogueira não foi paga para escrevê-lo. Este post mostra a opinião pessoal da blogueira que visitou o local.

2 de julho de 2015

Hospedagem em Tiradentes: Pousada Villa Saint Joseph

Por Julie Ana Speedy

A cidade histórica de Tiradentes é um dos principais destinos de Minas Gerais, e é conhecida por ter a média de diária de hospedagem mais alta do estado. 

Tentando “driblar” os preços mais elevados, optamos por uma pousada mais afastada do centro histórico (mesmo assim, com ótimas avaliações no site do Booking). 




PONTOS POSITIVOS

As acomodações da pousada nos impressionaram positivamente! A Villa Saint Joseph é uma hospedagem espaçosa, com várias áreas comuns, e muito bem decorada. Aliás, eu simplesmente adorei todos os móveis, especialmente a estante e mesas da sala do café da manhã.


Os quartos são confortáveis, com um bom tamanho, e também bem decorados. 

Além disso, a pousada é limpa, com estacionamento gratuito, o café-da-manhã é gostoso (eles têm queijo e iogurte caseiros!) e o local conta com uma piscina maravilhosa!

Ou seja, em geral bom custo-benefício!




PONTOS NEGATIVOS

É obvio que uma acomodação com um custo mais baixo que a média do local tem que ter algum ponto negativo, não é mesmo?

No caso da Villa Saint Joseph o ponto negativo é a distância do centro de Tiradentes, que é muito maior do que o esperado, por conta das péssimas condições das estradas/ruas que ligam a pousada ao centro histórico. 

São cerca de 30 minutos de carro, por ruas mal sinalizadas (precisa de GPS pra andar por lá!), e um bom trecho em calçamento de pedra, com vários buracos. Na última noite, voltando para a pousada, um pneu do nosso carro furou, o que acabou estragando totalmente o nosso último dia de viagem, além que não conseguimos nenhum borracheiro aberto na área (era um domingo) e tivemos que voltar para casa com o pneu reserva!

Ah, e outros pontos negativos sem muita importância (na nossa estadia): a água do chuveiro demora uns 10 minutos para esquentar e os quartos não tem ar-condicionado.



OPINIÃO FINAL

Na minha opinião, a distância da pousada ao centro histórico é um grande problema para quem passa poucos dias (até 3 dias) em Tiradentes. O valor mais baixo da diária não compensa, é bem cansativo pensar em levar 1 hora só para ir e voltar da pousada... Já para quem pretende ficar mais tempo, vale a pena considerar a pousada, que é maravilhosa! 


E QUANTO É O VALOR DA DIÁRIA?

A pousada tem um custo-benefício excelente! Para verificar os preços e realizar reserva, clique aqui.

Obs1.: Este post trata da nossa experiência verídica e real. NÃO é publipost.

Obs2.: O Blog faz parte do programa de parceiros do Booking.com. Ao efetuar uma reserva usando o link acima, o leitor contribui com o blog através de uma pequena comissão, sem nenhum custo extra.

31 de março de 2015

Londres com um bebê de 4 meses - Uma visita ao Shard

Na minha segunda visita à Londres (dessa vez com meu bebê de 4 meses!), tiramos um dia para conhecer o Shard, o edifício mais alto da Europa. Na última vez que estivemos lá, em janeiro de 2012, perdemos a visita por causa de um mês, já que o edifício só foi inaugurado para visitação no mês seguinte.


                                 
A VISITA

Fomos num dia de semana (Janeiro/2015) e fiquei surpresa de ver que não havia filas, estava super vazio e entramos direto. Totalmente diferente de outras disputadíssimas atrações londrinas, como a Torre de Londres, a Abadia de Westminster e a "rival" London Eye. 

Entretanto, não achei a acessibilidade muito boa... Não sei porque não nos deixaram subir com o carrinho do nosso bebê (talvez para economizar espaço no elevador???). Ainda bem que o nosso filho não estava dormindo / com sono na hora da nossa visita (se estivesse eu ia ter virado uma fera!). 

Enfim... Logo no início da visita, os elevadores que levam até a plataforma de observação  impressionam pela rapidez! Como consegue serem tão rápidos?!? (de fazer a viagem até o 8° andar no meu prédio parecer uma eternidade).

São duas plataformas / andares abertos à visitação, ambos com visão em 360 graus.

O primeiro, no 69° andar, fechado, que conta com vários telescópios de touchscreen onde é possível ver as atrações de Londres (Big Ben, St Peter´s Cathedral, Tower Bridge, entre outros), além de ler informações sobre os locais. O turista pode ficar quanto tempo quiser, tirando fotos e apreciando a vista.

O segundo andar de observação, no 72° e último andar do prédio é todo aberto. Opinião pessoal: essa plataforma é só pra dizer mesmo que foi no último andar do prédio. A vista é exatamente a mesma e, por ser aberto, em dias de chuva e frio (super comuns em Londres), ficar muito tempo por lá pode ser desconfortável.

                                   


A entrada (comprada na hora) custou £29,95 por pessoa (crianças até 3 anos não pagam). Preço em janeiro/2015.

A VISTA











THE SHARD x LONDON EYE

Mas e agora, caro leitor, você deve estar se perguntando. Mas e aí? Estou indo para Londres, devo visitar o Shard ou a London Eye? Ou os dois?

Bom... Aí depende do gosto pessoal de cada um... Alguns "pontos fortes" de cada atração que podem facilitar a escolha:

The Shard

  • A vista é indiscutivelmente melhor. 360° de toda a cidade de Londres; 
  • É possível apreciar a vista o tempo que quiser, enquanto na London Eye são apenas 30 minutos; 
  • Não precisa ficar disputando espaço com os outros turistas para uma foto / ver a vista. Enquanto na London Eye o turista fica "confinado" na cápsula, disputando uma "vaguinha" na "janela" com dezenas de outras pessoas; 
  • Menos filas. 
London Eye
  • O principal não é a vista em si, mas a experiência de estar na roda gigante. É um passeio interessante; 
  • Dá pra ver todos os detalhes dos prédios no centrinho de Londres (Big Ben, Parlamento, Abadia de Westminster); 

Para ver dicas de outras atrações em Londres clique aqui.

Niterói - Parque da Cidade

Uma ótima opção de passeio para quem visita a cidade do Rio de Janeiro pela segunda vez (ou terceira, quarta...) é conhecer a cidade de Niterói. 

Separada da "cidade maravilhosa" por apenas 13km (através da Ponte Rio-Niterói) ou 15 minutos de barca, "Nikiti" - como é carinhosamente apelidada - oferece várias atrações bacanas e vistas maravilhosas da Baía de Guanabara e Pão de Açúcar.

Um dos principais passeios em Niterói é o "Parque da Cidade" que é conhecido por possuir, não apenas belíssimas vistas do Rio de Janeiro, mas também um dos melhores cafés da manhã do Grande Rio!


COMO CHEGAR

Não há transporte público para o Parque da Cidade. Para chegar lá, são basicamente três opções: 

1. De carro - De Copacabana até o Parque da Cidade, pela Ponte Rio - Niterói, são em torno de 40 minutos de carro. Na volta, vale a pena parar em um dos bares da Praia de São Francisco. Abaixo um mapa de como chegar: 


2. De táxi - Uma segunda opção seria ir a Niterói usando as barcas e de lá pegar um táxi até o Parque da Cidade. A corrida custa em torno de R$25.

Obs.: Evite pegar táxi no Rio para ir a Niterói. Apesar de ser ilegal, muitos taxistas cobram em torno de 30% a mais que o valor do taxímetro pelo que eles chamam de "taxa de retorno". 

3. A pé ou de bicicleta - Uma última opção seria subir até o Parque da Cidade a pé ou de bicicleta (haja preparo físico neste caso!). Para isso, o turista terá que ir até o final da Praia de São Francisco (pegando um ônibus próximo ao Terminal de Barcas de Niterói), e ir caminhando a partir de lá. São cerca de 40 minutos de caminhada a partir do final da praia. 

O Parque fica aberto diariamente de 8hs às 17hs.

Endereço: Estrada da Viração, s/nº - Niterói. 


A VISTA

No dia que fomos, estava bem nublado, mas mesmo assim a vista é linda!







O CAFÉ DA MANHÃ

No alto do Parque da Cidade encontra-se o Sierra e Mar, um restaurante que oferece café da manhã / brunch, aos finais de semana, das 8:30 às 13hs. O buffet é liberado e custa R$39,90 por pessoa, e são várias opções de frutas, bolos, pães, frios, etc. Além da vista incrível!

Sugiro que a primeira coisa a se fazer ao chegar ao Parque da Cidade é ir ao café, pois normalmente tem lista de espera e aí é possível deixar o nome e aguardar enquanto aprecia a vista!

Foto: Página do Facebook do Café Sierra e Mar

16 de março de 2015

Cor da Terra Guest House - Bahia: A melhor pousada que você poderia se hospedar

Nesses 5 anos de viajante, visitei cerca de 75 cidades em 16 países diferentes. Fiquei em mais de 30 tipos diferentes de hospedagem, desde hostels com quarto compartilhado, passando por pousadas até hotéis 4 estrelas e um cruzeiro all inclusive. 

Mas nada, nada se compara ou foi tão especial quanto a hospedagem na Pousada "boutique" Cor da Terra, em Arraial D´Ajuda. O local (e a experiência) é simplesmente P-E-R-F-E-I-T-O!





  



SOBRE A POUSADA E UM POUCO DA NOSSA EXPERIÊNCIA

Os donos da pousada são um casal de franceses - Bernard e Regine, que cuidam pessoalmente de todos os detalhes! Logo na chegada, o Bernard mostrou as acomodações da pousada (linda!), que tem apenas 4 bangalôs e somente aceita adultos (ou seja, muito reservado - perfeito para casais e lua-de-mel!). Depois do check-in e acomodação, no início da noite, eles nos ofereceram um drink de boas-vindas na beira da piscina, com uns petiscos maravilhosos da Regine (ambos tiveram um restaurante grande na França e Porto Alegre então tudo o que preparam é delicioso!). O Bernard ainda fez uns truques de ilusionismo para nos entreter (muito divertido!), deu dicas para o meu cabelo e ainda fez um rápido corte de cabelo no meu marido..hahaha (mais um dos talentos dele), ficou ótimo!!! Já nessa hora estávamos nos sentindo duas celebridades!

Na primeira noite, ele ainda nos levou ao centro de Arraial e mostrou um pouco da cidade, deu dicas de restaurantes para jantar. Sempre que pode, ele dá uma carona para os hóspedes até o centro de Arraial, que fica a uns 15 minutos a pé ou 5 minutinhos de carro. Além disso, também busca e deixa na balsa para Porto Seguro, quando os hóspedes chegam e partem. Muito gentil!






                            

                            


AS INSTALAÇÕES

As instalações são lindas! Os bangalôs, mesmo o menor que ficamos hospedados - o Zanzibar, são bem espaçosos, cama confortável, ar condicionado, chuveiro com água quente, decoração perfeita no estilo rústico-chique. Tem um jardim grande e uma piscina que aproveitamos muito. A pousada é bem reservada e raramente víamos os outros casais hospedados, praticamente só no café da manhã. Ou seja, sensação de exclusividade e privacidade que todo casal deseja. 







O CAFÉ DA MANHÃ

O café da manhã é um dos melhores momentos da hospedagem. Eles servem frutas, queijo, presunto, café, leite, sucos, pão francês caseiro e brioches, tortinhas, brownies, tudo preparado pela Regine, caseiro, no melhor estilo café da manhã francês. Mas o melhor é o iogurte caseiro, com camadas de geleia, também preparado pela Regine, que é uma fofa!


Enfim, a melhor pousada que já nos hospedamos, graças, principalmente, ao carinho e atenção do Bernard e da Regine. Foi o ponto alto de toda a nossa viagem. Recomendo a todos!


                                         


E QUANTO É O VALOR DA DIÁRIA?

A pousada tem um custo-benefício excelente! Para verificar os preços e realizar reserva, clique aqui

Obs1.: Este post trata da nossa experiência verídica e real. NÃO é publipost.

Obs2.: O Blog faz parte do programa de parceiros do Booking.com. Ao efetuar uma reserva usando o link acima, o leitor contribui com o blog através de uma pequena comissão, sem nenhum custo extra.