26 de fevereiro de 2014

Trilha da Pedra Bonita

Por Julie Ana Speedy

Uma das atividades mais conhecidas e cartão postal da cidade do Rio de Janeiro é o voo de asa delta ou parapente, que parte da rampa da Pedra Bonita, em São Conrado. Para quem (ainda) não tem coragem de se aventurar no esporte, mas quer conhecer o local e apreciar algumas das vistas mais incríveis da cidade, há uma opção: A trilha da Pedra Bonita, que parte ao lado da rampa e leva até o topo desta formação rochosa, em frente à famosa Pedra da Gávea. 



COMO CHEGAR 
  • De carro
Como já mencionei acima, o início da trilha é ao lado da rampa de asa delta. Para chegar até lá de carro, partindo da Zona Sul da cidade, deve-se pegar a autoestrada Lagoa-Barra, pegar a saída para o Joá e subir a Estrada das Canoas (mão dupla). Logo na interseção com a Estrada da Pedra Bonita tem uma placa indicando a subida para a rampa, na mão contrária.

Aqui um mapa indicando como ir de Copacabana para a Pedra Bonita.

É bom chegar cedo, pois costuma ter uma fila de carros esperando para subir. Chegamos por volta das 11hs da manhã de um domingo e ficamos quase uma hora esperando para subir ao estacionamento! Tem que ter paciência...

Ah, e não liga se tiver uns carros “passando a frente”. É que os instrutores de asa delta e parapente não ficam na fila, pois tem uma parte do estacionamento reservada só pra eles. 

O estacionamento custa R$5,00 o período único (Fevereiro/2014). É importante levar água e uns biscoitos/barra de cereal, porque na entrada da trilha não tem nada vendendo! Quando fomos, o cobrador do estacionamento até estava vendendo água e refrigerantes, mas... É bom não contar com a sorte. 

Também é bom levar uma toalhinha para secar o suor e outra toalhinha ou canga para sentar lá em cima na pedra (acredite em mim, é quente! Estava de short e quase queimei as pernas). 

  • De ônibus
Pra quem decidir ir de ônibus, a linha 448 (Maracaí x São Conrado) passa pela entrada da subida para o estacionamento. Mas aí tem que subir a pé até o estacionamento, onde fica o início da trilha para o pico da Pedra Bonita. A subida é íngreme e parece bem cansativa para ir a pé (ainda mais pra quem ainda tem mais uns 40 minutos de trilha pela frente!). 

  • De Táxi
Não vi ninguém chegando de táxi. Até porque geralmente tem a fila de carros para a entrada. Pra quem quiser ir de táxi, tem que lembrar de combinar com o taxista um horário para a volta, ou então voltar de ônibus. 

Entrada para o estacionamento - Trilha da Pedra Bonita (subida à direita)


A TRILHA

A trilha da Pedra Bonita (não confundir com a trilha da Pedra da Gávea!) é considerada como tendo grau de dificuldade fácil. E, realmente, achei a trilha fácil. É uma caminhada em terreno íngreme, de mata fechada. Mas não tem nenhum momento de escaladas, ou mesmo pedras. A parte mais “difícil” mesmo fica bem no finalzinho, quando tem alguns degraus mais altos para subir. A partir dali são só uns 5 minutos para chegar até o topo. O tempo de subida total leva em torno de 40 minutos. 

Agora, só achei a trilha bem cansativa, por ser em terreno muito íngreme. Tive que parar umas 3 vezes para sentar e descansar, porque estava “brabo”! (Lembrando que é importantíssimo levar água!).

A descida não é muito cansativa (diria praticamente esforço zero!), mas só tem que tomar cuidado para não tropeçar e cair. Como o terreno é bem íngreme (estilo rampa mesmo), a galera desce no embalo! O tempo de descida é mais ou menos metade do tempo de subida. 





A VISTA

Todo o esforço da trilha é compensado ao chegar lá em cima! Vista linda da cidade, desde as praias de Copacabana até são Conrado de um lado e Barra e Recreio do outro. Vista do cristo Redentor e a Pedra da Gávea logo de frente. 








LENDAS

Falando em Pedra da Gávea, vale a pena deixar um pequeno comentário sobre toda a lenda que ronda o local. A pedra, considerada o maior bloco monolítico à beira mar do mundo, chama muita atenção por conta de sua forma (parece mesmo um rosto esculpido na pedra, com olhos, nariz, boca e orelhas). Há quem diga que não passa de uma coincidência do processo de erosão, mas muitos afirmam tratar-se de uma “esfinge” e túmulo fenício, ideia reforçada pela suposta inscrição fenícia na lateral da “cabeça” da pedra. Lembrando que os fenícios viveram alguns séculos antes de Cristo na região do Oriente Médio/Ásia. Se a lenda for mesmo verdadeira, eles seriam os reais “descobridores” da América. Pois é... a história rende!

4 de fevereiro de 2014

5 experiências imperdíveis em Búzios!

Por Julie Ana Speedy


Búzios é um dos destinos “top” do estado do Rio de Janeiro (e do Brasil!). Distante apenas cerca de 150 km da cidade do Rio (ou 3 horas de carro), o balneário passou de uma simples vila de pescadores nos anos 60 para um dos destinos mais chiques e glamorosos do país.

Cobiçada por brasileiros e argentinos - sim, os hermanos estão por toda a parte! -  Búzios é puro charme.

Confesso que passei os primeiros 25 anos da minha vida sem conhecer essa cidade. Na primeira vez que eu fui, ano passado, até gostei,pero no mucho. Talvez, por ter escolhido uma opção incorreta de estilo de viagem (fomos de ônibus, e viagem low budget). Búzios não foi feita para mochileiros, em minha opinião (e experiência própria). Acho que carro é essencial na cidade, sugiro pelo menos alugar um buggy. Mais fácil para se deslocar e conhecer mais praias, além de mais seguro.

Mas, depois de outras duas vezes na cidade (3 no total, em menos de 10 meses), acabei me encantando! Encontrei as atividades que me agradaram, no jeitinho que a cidade merece.

Estou listando as 5 coisas imperdíveis para se fazer em Búzios, de uma forma mais geral, e que agradem gregos e troianos (ou melhor, brazucas e gringos):


1. Encontre sua praia! 

Quem vai a Búzios quer o que? Praia, claro! E a cidade tem dezenas de lindas praias à disposição para você escolher. Cada uma tem o seu “estilo”, então veja a que mais combina com você. Fiz uma seleção das praias que conheço em Búzios, com uma breve descrição e minha visão pessoal sobre as mesmas, neste post aqui (vai lá, tem muitas dicas e fotos!)

2. Pôr do sol no Porto da Barra

Um dos lugares com o pôr do sol mais lindo que já vi na minha vida! Já comentei sobre o Porto da Barra no post sobre restaurantes, em especial o Bar Anexo Praia. Muitas mesas ao ar livre, estilo lounges, de frente para a praia, e muitos drinks. No final do pôr do sol a casa ainda oferece um drink aos seus clientes para celebrar!

Quem não quer ficar no Bar Anexo Praia, pode ver o espetáculo do sol da ponte, de onde se tem a melhor vista para as fotos.





3. A famosa Rua das Pedras

Não tem como ir a Búzios e não conhecer a noite na Rua das Pedras. A área concentra vários restaurantes e lojas que vendem desde souvenir até roupas de grife.

4. Escolha seu restaurante preferido

Acho legal ler umas críticas sobre restaurantes, e/ou ouvir as opiniões de quem já esteve na cidade e pode indicar. Porém, cada um tem o seu gosto, não é? Eu posso adorar comida japonesa, mas tem gente que odeia. Por isso, nas minhas viagens, sempre prefiro andar e procurar um restaurante que me agrade, sem ter uma lista pré-agendada de restaurantes “tenho que ir”, como se tivesse que “bater cartão” naquele lugar específico (afinal, já bastam os pontos turísticos!). Então, minha sugestão de restaurante é: ande, procure e escolha o que te agrade! Se quiser direcionamento, tenho uma lista de restaurantes que gosto na cidade.



5. Encontro com a Brigitte Bardot

Você não vai sair de Búzios sem cumprimentar a sua moradora mais ilustre, não é? Na Orla Bardot tem uma estátua de bronze em tamanho natural da Brigitte Bardot, admirando a paisagem das praias da cidade que tanto amou. Passa lá!

1 de fevereiro de 2014

Dicas de restaurantes em Búzios

Por Julie Ana Speedy


Como cidade turística que se preze, Búzios conta com várias opções de restaurantes, de diversas cozinhas e para todos os bolsos (apesar de ser relativamente cara).

Os três principais polos gastronômicos da cidade são: Rua das Pedras, Orla Bardot e Porto da Barra.

Fiz uma listinha com os restaurantes que indico e considero que tenham uma boa comida e bom custo-benefício. Sem ordem de preferência! Ah, e lembrando que essa é a minha opinião e gosto pessoal!

1. Bar Anexo Praia (Porto da Barra)

O Anexo Praia fica no Porto da Barra, em frente ao mar. Tem uma vista linda e é disputadíssimo no horário do por do sol. A casa é mais especializada em petiscos e drinks, as mesas são baixas e as cadeiras são no estilo bancos e lounges. Estilo bem relax e informal. 

Além dos petiscos tradicionais, sugiro a mozzarella de búfala gratinada (divino!). Para jantar, adorei o risoto de camarão, com bastante queijo. A porção parece pequena no início, mas não se engane! Dá pra ficar super satisfeito!  E pra quem está dirigindo tem um drink sem álcool feito com suco de laranja, abacaxi e cereja que é uma delícia. Os preços são bem razoáveis.

Ah, e no final do por do sol, eles servem aos clientes um drink gratuito, com a mesma cor que o céu fica durante o espetáculo (esse drink tem álcool!).

Risoto de camarão e drink no Anexo Praia

Detalhe do drink sem alcool do Anexo Praia

Preparados para o pôr do sol em Búzios

Drink do pôr do sol no Anexo Praia (gratuito!!!)

Drink do pôr do sol, com a mesma cor do céu

O pôr do sol (com "O" maiúsculo! Incrível!!!)

Anexo Praia à noite

Em um dos lounges de frente pro mar

2. Restaurante do Mangue (Porto da Barra)

Outro restaurante no Porto da Barra. Pedimos o filet mignon com molho de gorgonzola, com batata rostie e salada de acompanhamento. A carne é muito macia e saborosa, mas a porção é pequena, serve apenas uma pessoa (e quem costuma comer mais pode ficar com fome!). O custo benefício não é lá muito bom, mas a comida é gostosa.

3. Pátio Havana (Rua das Pedras)

Um dos restaurantes mais tradicionais da cidade. Tem bastante estilo. Música ao vivo, vários ambientes (inclusive um com mesa de sinuca) e algumas mesas com vista para o mar. Gostei do custo-benefício. Agora, apesar do nome, não tem nada a ver com cozinha cubana (palavra do marido que conhece Cuba!).

Música ao vivo no Pátio Havana 

4. Estância Don Juan (Rua das Pedras)

A Estância é um restaurante argentino na Rua das Pedras. Os cortes das carnes são tipicamente argentinos e o sabor é ótimo. Agora, o preço é meio salgado. Eu relevo, pois os restaurantes argentinos no Brasil (ao menos ao redor do Rio e no Nordeste) costumam ser caros mesmo. Ah, e lembrando que nada com eles é super bem servido, as porções são pequenas mesmo.

5. Bar Praia da Tartaruga

Fica no acesso à praia da Tartaruga. O bar é imenso, com uma vista linda, bom atendimento e muito limpo (item que em geral faltam aos bares de praia da cidade). O melhor bar de praia que fui em Búzios. 

Bar Praia da Tartaruga

A vista!
O ambiente do Bar da Tartaruga

6. Alessa Sorveteria (Rua das Pedras)

Toda vez que vou ao centro de Búzios, tenho que tomar um sorvete na Alessa! É bom demais!!! Essa sorveteria fica numa ruazinha transversal à Rua das Pedras e os seus sorvetes são artesanais, no estilo italiano (até melhor que os da Sorveteria Itália) e os sabores são divinos!

Sorvete de dulce de leche na Alessa

7. Bar do Zé (Orla Bardot)

O Bar do Zé fica na Orla Bardot, depois da estátua da Brigitte (pra quem vem da Rua das Pedras). É um dos restaurantes mais tradicionais e recomendados da cidade. Eu ainda não conheço, pois no dia que íamos jantar lá, comemos tanto churrasco no almoço que de noite a fome era zero. Mas, pelas recomendações e pela aparência do local, parece ser muito bom!

30 de janeiro de 2014

Búzios: encontre sua praia!

Por Julie Ana Speedy

Quem vai a Búzios quer o que? Praia, claro! E a cidade tem dezenas de lindas praias à disposição para você escolher. Cada uma tem o seu “estilo”, então veja a que mais combina com você. Fiz uma seleção das praias que conheço em Búzios, com uma breve descrição e minha visão pessoal sobre as mesmas.

  • Praia Rasa
A minha praia favorita na cidade, é uma das mais distantes do centro. Extensa faixa de areia (no horário de maré baixa), mar perfeito para nadar – como o próprio nome diz, a praia é rasinha, apesar de ter algumas ondas e ficar meio “traiçoeira” na maré alta. E, como não tem barracas de praia, é super sossegada. É a praia de quem mora ou fica hospedado na região, pois a infraestrutura é praticamente zero.


Praia Rasa na maré baixa
Stand Up Paddle na Praia Rasa
Praia Rasa em um domingo


  • Praia de Geribá
Essa praia deve ter um “vavavum”, pois é a mais famosa e mais visitada da cidade. Eu, sinceramente, não vejo nada demais. Acho muito cheia (eu moro em Copa, então quero uma praia mais sossegada), muito cara e, por causa das ondas fortes, não é a melhor para nadar. Mas é a praia dos surfistas, dos jovens. Pra quem quer burburinho (e tem dinheiro pra pagar!).

Ah, no lado direito tem um costão que o pessoal gosta de subir para ver a vista de lá de cima, que é linda!


Praia de Geribá
  • Praia da Ferradura
Minha segunda praia favorita na cidade, com faixa de areia pequena e sem ondas, boa pra nadar. Visual bonito e bares com custo-benefício melhor que em Geribá (meu ponto de vista). Dá pra descolar um estacionamento gratuito se consumir em um dos bares parceiros. E tem pescadores que vendem ostras fresquinhas e baratas!



Praia da Ferradura

Nossos pés curtindo a praia da Ferradura

Ostras!

Família curtindo a Praia da Ferradura

  • Praia da Tartaruga
Outra praia curtinha e de mar tranquilo, estilo piscininha. Tem o Bar da Tartaruga, que é um lugar super gostoso e com vista incrível. Ponto negativo: o acesso é por uma estrada de terra esburacada.


Praia da Tartaruga
  • Praia dos Ossos
Praia central, na Orla Bardot. Muito, muito cheia e meio suja, apesar da bela paisagem. É a praia dos estrangeiros e dos passageiros que desembarcam dos cruzeiros.


Praia dos Ossos

Contraste entre o moderno navio e os rústicos barcos de pescadores na Praia dos Ossos

Cruzeiro e barco afundado na Praia dos Ossos

Barcos na Praia dos Ossos


  • Praias Azeda e Azedinha
Com acesso apenas a pé, ficam a uns 15 minutos de caminhada a partir da Praia dos Ossos, atravessando um costão, de onde se tem uma linda vista das praias. Mas parece que toda a torcida do Flamengo vai pra lá...


Praia Azeda
Essa é apenas uma seleção das várias praias que Búzios ainda oferece, como: Praia da Ferradurinha, praia de João Fernandes, praia de Tucuns, praia do Forno, entre outras...

E você, o que achou da seleção? Qual a sua praia preferida em Búzios? Deixe seu comentário!

25 de janeiro de 2014

Dicas para conseguir uma viagem econômica de Carnaval (em cima da hora!)

Por Julie Ana Speedy

Pois é... 2014 já começou! Aliás, janeiro já está acabando!!! Passa rápido... Muitos estão retornando de férias agora, revendo as fotos da viagem de Natal, Ano Novo. Mas já tem gente pensando na viagem de Carnaval, que está logo ali, na primeira semana de março.

E você? Já tem alguma programação para esse feriado? Se você não tem e acha que já está muito em cima de conseguir uma viagem bacana com um preço razoável... está na hora de rever os seus conceitos! Vou passar aqui algumas dicas de como conseguir uma viagem econômica para este Carnaval, baseado nas minhas experiências (sempre arrumando ideia em cima da hora!). Em 2010, fui para Punta del Este, no Uruguai. Em 2011, foi a vez de Foz do Iguaçú. E em 2013, Fortaleza. Todas essas viagens foram realizadas no Carnaval, e todas as reservas foram feitas quase "aos 45 do segundo tempo", até com menos de um mês de antecedência!
 


1. Flexibilidade é a alma do negócio (Parte I – Destinos)

Tudo bem que pular o Carnaval em Salvador atrás do trio elétrico deve ser o máximo. A Cabofolia em Cabo Frio deve “bombar” e subir e descer as ladeiras de Ouro Preto atrás dos blocos seja eletrizante. Por isso mesmo, esses – e outros destinos que “fervem” no Carnaval – geralmente ficam bem mais caros nessa época do ano. Às vezes, dependendo da origem, ir para uma dessas cidades nessa época pode sair até mais caro que destinos internacionais.

Quem não faz questão de um Carnaval nessas cidades onde a festa rola solta e quer mesmo é descansar ou conhecer novos lugares, uma alternativa são os destinos menos tradicionais. Quem sabe uns dias românticos na serra gaúcha ou Campos do Jordão? Ou uma aventura no Pantanal ou Chapada dos Guimarães? Diversificar as opções de destinos pode gerar muita economia!

2. Flexibilidade é a alma do negócio (Parte II – Datas)

Nessa época, a maioria das pessoas tem como tempo livre de sexta-feira à tarde ou noite até quarta-feira. Por isso mesmo, viajar nessas datas e horários geralmente sai mais caro (e mais demorado pra quem vai de carro). Quem tem um pouco mais de flexibilidade pode descobrir que ir sábado e voltar quarta ou quinta de manhã pode sair mais barato. 

3. Pesquise!

Pesquise, pesquise, pesquise! Use os sites de pesquisa para encontrar passagens e hospedagem, como decolar.com, skyscanner.combooking.com, tripadvisor.com, submarinoviagens.com.br. Estes sites buscam e comparam os preços entre várias companhias e ajudam a encontrar o menor preço.

4. Economia – não é promoção

Lembre-se que Carnaval é sempre alta temporada. Nunca espere encontrar uma super promoção de passagem ou facilidade em hotéis. É possível achar preços razoáveis, não pechinchas.


5. Meus exemplos (viagens realizadas na semana de Carnaval, partindo do Rio de Janeiro)

  • 2010: Punta del Este (Uruguai) -  Reservado com 1 mês e meio de antecedência. Passagem: R$ 687,47 por pessoa. Hotel: US$320,00 (4 noites quarto duplo)

  • 2011: Foz do Iguaçu -  Reservado com menos de um mês de antecedência!!! Passagem: R$422,04 por pessoa. Hotel: 446,00 (4 noites quarto duplo – hostel)

  • 2013: Fortaleza (e Bonito ainda disponível) - Reservado com 4 meses de antecedência. Faltando 2 meses, quase troquei o destino para Bonito (ainda estava em conta). Passagem: R$ 588,94 por pessoa.  Hotel: R$ 717,00 (3 noites quarto casal)

  • 2014: Esse ano vou curtir o Carnaval na minha cidade, o Rio de Janeiro. Mas, seguem algumas pesquisas que fiz ontem, 24/01/2014, com sugestões de destinos que eu iria, e com preços razoáveis para a época. 

Porto alegre (Serra Gaúcha) – Passagem por cerca de R$570,00. Ida no sábado e retorno quarta ou quinta-feira de manhã (valor sem as taxas). 

Curitiba  – Passagem por cerca de R$360,00. Ida no sábado e retorno quarta ou quinta-feira de manhã (valor sem as taxas).

Cuiabá (Chapada dos Guimarães) – Passagem por cerca de R$500,00. Ida no sábado e retorno quinta-feira de manhã. 

23 de janeiro de 2014

O impressionante cenário de Morro Branco

Por Julie Ana Speedy

Quem visita Fortaleza tem ainda a possibilidade de conhecer um dos cenários mais impressionantes não só do estado do Ceará, mas também de todo o Brasil: a Praia de Morro Branco e suas falésias coloridas.
A paisagem é realmente cinematográfica! Areias, costões e falésias de várias cores. A cada passo, é uma rocha com coloração diferente. E, pra completar, as falésias estão localizadas à beira do mar.

As incríveis falésias da Praia de Morro Branco
Contraste entre o vermelho das rochas e o azul do céu e do mar

A areia colorida das falésias e praia de Morro Branco é ainda matéria prima de um dos artesanatos mais tradicionais do Ceará: as garrafas com desenhos de areia colorida.
No passeio, aprendi que as cores nos tons de amarelado, alaranjado, avermelhado, marrom e o branco são naturais! Uma tinta é misturada à areia branca para criar as tonalidades rosa, azul, verde e lilás. Imperdível levar um pra casa (nem que seja um pequeno ímã).

O tradicional artesanato da praia de Morro Branco

Artesão em Morro Branco

COMO CHEGAR
Morro Branco está localizado no município de Beberibe, a cerca de 80 km de Fortaleza.
É possível ir a Morro Branco com uma agência, melhor opção pra quem não está de carro. Porém acho legal lembrar que com agência o tempo disponível para ver a praia é muito curto e o passeio acaba ficando meio corrido (geralmente é combinado com a Praia das Fontes). O passeio custa cerca de R$35,00.
O melhor, se possível, é alugar um carro e ir até o centro da vila. De lá, é possível contratar guias credenciados que levam os turistas no labirinto, e ainda, alugar um motorista com buggy.

O QUE VER
Labirinto de Falésias é o “must” do local. A entrada fica ao lado do centro da vila e é sinalizada. Como disse anteriormente, dá pra contratar um guia para andar pelo labirinto. Apesar de muita gente contratar buggy, o carrinho não entra no labirinto. O percurso tem de ser feito a pé. O buggy é pra levar o pessoal para passear pelas praias da região. (De novo, sugiro ir por conta própria pra poder ver tudo com calma).





COMPRAS
Logo na entrada da vila, tem vários artesãos vendendo as tradicionais garrafas com areia colorida, além de outros artigos. Tudo bem barato. Imperdível!