Planejando uma viagem com o bebê: 5 dicas essenciais

Quem nunca ouviu (ou repetiu) a frase: "vamos aproveitar para viajar agora, pois depois que vierem os filhos não vai ser mais possível...

Bruxelas: A Terra da Cerveja e do Chocolate!


Toda vez que penso em Bruxelas me recordo daquele comercial da TV, com os cantores sertanejos e a música: “Cerveja, cerveja, cerveja, cerveja... Cervejaaaaa”. Em minha opinião esta música “resume” muito bem o espírito da cidade.

A Bélgica é conhecida internacionalmente pela excelência das suas cervejas, sendo produtora de algumas das melhores no mundo.
Nos bares de Bruxelas, ela é uma das estrelas do cardápio. Os menus sempre contam com uma extensa lista de cervejas nacionais, com diferentes níveis de álcool, fabricantes e tipo (pilsen, Weiss, black, de fruta, etc.).

Ou seja, quem não curte cerveja e planeja uma viagem à Bélgica, das duas uma: ou desiste da viagem ou faz um “esforço” para apreciar a bebida. Digo isso porque não tem a menor graça visitar a Bélgica se o foco não for “tomar umazinhas”. A cidade pode ser muito “bonitinha”, tudo muito “fofinho”, chocolates, histórias em quadrinhos... Mas, sem cerveja, não tem como “degustar” o local.

Antes que o leitor pense que a blogueira que lhe fala é uma “cachaceira”, me explico: Tem coisa melhor do que, nas viagens, experimentar a culinária local?









Fotos acima: "Pequena" seleção de cervejas locais que a blogueira que vos escreve experimentou
Brincadeiras à parte, existem, sim, vários motivos para se encantar por Bruxelas.

Continuando no campo culinário, os chocolates são outra atração. Quem nunca ouviu falar dos chocolates belgas, diversas vezes considerados os melhores no mundo (até mais que os suíços)?

Outra delícia local é a batata-frita. Sim, pois os belgas são considerados os inventores deste prato que virou mania no mundo todo. E eles sabem prepara-la de uma forma bem especial, fritando as batatas duas vezes, de forma que fiquem bem crocantes e sequinhas.
Caso deseje experimentá-las, peça um prato de moules-frites, mexilhões servidos com batata-frita. É o prato típico local.

Para terminar a orgia gastronômica, ainda tem o waffle. Advinha só? Outro prato típico local. O gostoso mesmo é comprar dos vendedores nas ruas, em um “carro do waffle”. A versão mais simples, apenas com açúcar, custa cerca de €1,50. Como diriam os antigos, é de lamber os beiços!







Fotos acima: Muitas delícias! Chocolate, batata-frita, moules frites, waffle
Com tanta comilança, é bom acrescentar no seu roteiro umas boas caminhadas a pé pela cidade. Além de ajudar a gastar as calorias, é a melhor forma de se deslocar em Bruxelas e apreciar a arquitetura local.

Arquitetura, aliás, belíssima. Em parte, devido à outra invenção belga: o estilo art-nouveauÊta povo criativo!

Dê um rolê, principalmente, pela magnífica Grand Place e entorno, no centro da cidade, passando pelo Parc de Bruxelles até a simpática estátua do Manneken Pis. Uma curiosidade: o menininho mijão de lá inspirou os residentes de além-mar daqui a criar o “manequinho” botafoguense.

Ah, é claro, durante a caminhada, não se esqueça de parar em um barzinho para descansar e tomar uma cerveja! Se quiser uma sugestão, lhe dou duas: O Manneken Pis Café Tavern, em frente à estátua homônima e o bar Le Fontainas, na Rue du Marchè au Charbon, 91, bem próximo à Grand Place.

Outro item que certamente chama a atenção na caminhada é a limpeza, organização e educação da cidade. Para se ter uma ideia, são poucos os sinais de transito. A maioria das ruas possui apenas uma faixa para pedestres, onde os motoristas aguardam educadamente os transeuntes atravessarem.

Infelizmente, há uma exceção: As estações de trem (Bruxelles Midi e Bruxelles Central), que são feias, sujas, e com uma enorme concentração de mendigos por metro quadrado. Como 99,9% dos turistas em Bruxelas passam por estas estações - seja para chegar à cidade ou para fazer um day-trip nos arredores – é preciso atenção redobrada.

Recapitulando: muita cerveja boa e barata, bela arquitetura, chocolates deliciosos, batata-frita, waffle, povo educado... Nada mal para uma cidade que é considerada o “patinho-feio” das capitais europeias. Falando em Europa, aliás, faltou lembrar que Bruxelas é o centro da União Europeia. Mas com tantos atrativos, a UE é apenas um detalhe.








  







De cima para baixo: Manneken Pis e bar homônimo,  os belíssimos edifícios no entorno da Grand Place( destaque para o Hôtel de Ville), Catedral, Palais Royal e seus jardins, decoração de Natal na Av Louise e Atonium.

Postar um comentário