#

O surpreendente País de Gales



Tenho que admitir: o meu contato com o País de Gales só começou devido ao meu marido, que é galês. Se não fosse por, digamos, “questões familiares”, eu talvez nunca tivesse sequer cogitado a ideia de conhecer esse país. 

Visitei o país pela primeira vez nas férias de dezembro de 2012 e fiquei simplesmente encantada com a beleza do local! Sabe aqueles lugarzinhos bucólicos, com imensas áreas verdes, ovelhas, pastores e muita tranquilidade? Tá aí um bom retrato do País de Gales.

Mas o país é realmente conhecido internacionalmente por causa de seus castelos. São centenas, pra lá de 600. E olha que a sua área é equivalente à metade da área do Estado do Rio de Janeiro.  É a maior concentração de castelos por m2 no mundo!



De cima para baixo: as paisagens bucólicas do país e um de seus inúmeros castelos
Outra característica marcante do país é a sua cultura. Foi o local que mais manteve a cultura celta ao longo dos anos, diferente das vizinhas Inglaterra e Escócia, que foram dominadas pelos saxões e, com o tempo, deixaram para trás parte desta ligação.

Além da cultura celta, o país manteve o galês como a sua língua oficial. O galês é uma língua totalmente diferente do inglês e muito difícil de falar, algumas palavras são praticamente impronunciáveis. Duvida? Então tenta falar:
Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogoch. Não, isso não é um xingamento. É o nome de uma cidade no nordeste do país.

Felizmente, o inglês também é língua oficial e falada por certamente todos no país. Na verdade, apenas 40% da população, principalmente no Norte, ainda fala o galês. A família do meu marido, por exemplo, que é do sul, não entende bulhufas do segundo idioma do país.






As sinalizações no país: todas escritas em inglês e galês
Qualquer roteiro por Gales certamente passará por uma de suas três principais cidades: Cardiff, a capital, Newport ou Swansea.

O acesso à Cardiff a partir de Londres é muito fácil, são apenas duas horas de carro ou um trem direto (também com 2 horas de duração) da estação de London Paddington a Cardiff Central. É muito mais fácil e rápido do que ir para Edimburgo, capital da Escócia.
Os destaques na capital ficam por conta da Cardiff Bay, a baía com vários bares e restaurantes, Cardiff Castle, principal atração da cidade (tinha que ser um castelo...) e Millenium Centre, um centro de cultura com musicais, peças de teatro, exposições, etc.

Para quem tiver oportunidade, vale a pena também assistir uma partida de rúgbi, o esporte nacional, no Millenium Stadium. O País de Gales é uma das potências mundiais no esporte e atual campeão da Copa “6 Nations”, com as principais seleções da Europa, além de Gales: Inglaterra, Escócia, Itália, França e Irlanda.

Mas os galeses também são apaixonados por futebol e estão felizes de ver a equipe do Swansea fazendo bonito na Premier League, além de Cardiff City que está perto de retornar à “série A” do Reino Unido. Os jogos de futebol acontecem ou no Millenium Stadium ou no Cardiff City Stadium.




De cima para baixo: Cardiff Bay e Wales Millenium Centre
Fora da capital, para quem quer arriscar e dirigir na mão inglesa, vale a pena alugar um carro e explorar os arredores de Cardiff, como: ChepstowWye Valley e Newport. Nestas cidades é possível observar a paisagem característica local, com vales verdes e ovelhas nos pastos.

Mais afastados estão os parques de Snowdonia Brecon Beacons, algumas das principais atrações do país. Estes eu ainda não conheci. Tá aí uma boa oportunidade para retornar. 




De cima para baixo: Tintern Abbey, Wye Valley e Chepstow
Postar um comentário

instagram @oguiadeferias