#

Como é viajar nas companhias aéreas "low cost" da Europa

Um dos pontos altos de uma viagem para a Europa, na minha opinião, é a possibilidade do viajante poder combinar várias cidades de diferentes países no roteiro, já que na maioria das vezes os locais estão distantes entre si apenas algumas poucas horas de trem.  

Mas, e quando a viagem de trem fica muito cara e/ou muito longa?

Nesse caso, uma boa opção são as tão famosas companhias aéreas low cost! (tenho que comentar: como o Brasil, um país de dimensões continentais, não possui um bom serviço de companhias aéreas de baixo custo e trens???).

Na Europa, as principais companhias aéreas de baixo custo são a Ryanair e a Easyjet. Eu já tive oportunidade de voar algumas vezes com essas duas companhias compartilho com vocês a minha experiência. 


Mas antes, um apanhado geral com informações importantes de como essas companhias atuam: 
  1. Sim, as passagens são mesmo muito baratas. Comprando com um pouco de antecedência e/ou fora da alta temporada, é possível encontrar pechinchas como trechos a €15 (na cotação atual, cerca de R$35 por pessoa, apenas!). 
  2. Mas... Não se engane! As empresas costumam adicionar várias taxas: taxa para check in online (que na maioria das vezes elas obrigam fazer!), taxa para pagamento em cartão de crédito, taxa para reimpressão do cartão de embarque e, principalmente, a tão temida taxa para despachar bagagem no porão! Cada companhia tem a sua regra para bagagem, mas em geral, elas costumam cobrar cerca de  €15 por uma mala de 15 kg que o passageiro transporta ou €20 por uma mala de 20 kg. Também há restrições quanto ao número de volumes e peso máximo que cada passageiro pode transportar. 
  3. Dessa forma, voar com as low costs só costuma compensar mesmo pra quem está só com bagagem de mão (se você for só fazer um bate-e-volta e puder deixar a mala guardada no hotel, aeroporto ou casa de um amigo), ou pra quem está apenas com um volume de até 20 kg (é difícil, mas não impossível... por exemplo, eu passei 15 dias mochilando pela Europa só com uma mala de 15kg! Ok, era verão, mas... vale o esforço pra quem quer economizar). 
  4. Na maioria dos casos, essas companhias voam para aeroportos menores, mais distantes da cidade. Por exemplo, o aeroporto base da Ryanair em Paris é Beauvais, quase a 2 horas do centro de Paris (há ônibus shuttle). 
  5. Também é preciso considerar que os horários costumam ser bastante ingratos. Como? Voo saindo de manhã cedo (antes das 9 horas) ou chegando no destino no final da noite (após às 21hs). 

Agora, algumas considerações específicas sobre as duas principais companhias: 

RYANAIR

Foi a primeira empresa a inaugurar o setor, ou seja, oferecendo passagens a baixíssimo custo. 

Eu particularmente prefiro a Easyjet, pois acredito que a Ryanair é muito mais restritiva. Em primeiro lugar, a empresa "obriga" o passageiro a realizar o check in com antecedência e levar o cartão de embarque ao aeroporto, caso contrário a multa para reimprimir custam absurdos 70. Então tem de ficar atento!

Nas duas vezes que voei com a empresa, em 2011, acho que ainda não existia a possibilidade de reservar lugar (hoje eles cobram €10 para marcação de assentos), porque a galera toda na sala de embarque literalmente saiu correndo pra entrar na aeronave assim que o embarque foi autorizado. Sim, cena indescritível. Pior que a Central do Brasil durante o horário de rush. 

Como já tinha comentado antes, eles também são bastante restritivos com relação à bagagem. Em um dos vôos que realizei (Paris-Barcelona), a minha mala excedeu em menos de 1kg a franquia que tinha comprado (estava com quase 16kg, quando a minha franquia era de 15kg). E não é que a atendente do check-in disse que eu não poderia embarcar com aquele peso?!?! Pois é, tive que abrir minha mala, jogar fora algumas coisas (shampoo/condicionador e um livro), além de passar outras coisas para a minha bagagem de mão para poder estar dentro da franquia. Eu comentei que eles eram chatos! Por fim, ainda pesaram minha bagagem de mão e fizeram encaixar naqueles retângulos que conferem o tamanho da mala. Quase não entrou e eu ficava sem embarcar!

Em outro voo (Veneza-Paris), o aeroporto de desembarque era em Beauvais (tudo bem, eu sabia que seria longe da cidade). Enfim, desembarquei por volta das 10hs e só consegui chegar no hostel em Paris depois das 13hs... O que mochileiro não faz pra economizar dinheiro! 

O bom é que economizei, a experiência não chegou a comprometeu a minha viagem (pelo contrário, até que foi um aprendizado), me diverti no voo (pobreza: as aeromoças vendem raspadinhas de carro) e ainda levei menos tempo nos deslocamentos do que se fosse de trem. Agora, se tiver que escolher, Ryanair não!


EASYJET

A Easyjet me parece muito mais tranquila e flexível. 

Para começar, não há taxas extras para impressão de cartão de embarque no aeroporto. Os passageiros com apenas bagagem de mão podem fazer o check-in em casa e imprimir no aeroporto. Os que levam bagagem para despachar, só podem fazer o check-in no aeroporto. 4

Também, todos os passageiros possuem lugares marcados. Sem correria! Há também a possibilidade de pagar uma taxa para reservar lugar (varia entre £1 e £16 dependendo do lugar e se é alta estação). Ok, ela ainda é low cost com taxas. 


Pra fechar, não cheguei a ter bagagem despachada no voo que fiz com a Easyjet este ano (Londres - Edimburgo), mas eles nem quiseram saber de pesar ou medir nossa bagagem de mão...
Postar um comentário

instagram @oguiadeferias