#

Cartagena - Algumas dicas essenciais

Cartagena é a 5ª maior cidade da Colômbia e seu principal destino turístico. 

Após a significativa melhora na segurança, é visível que o país vem atraindo cada vez mais turistas, que, entre outros destinos, escolhem Cartagena para experimentar um pouco mais da cultura colombiana, sua riquíssima história, e - por que não - aproveitar um pouco do mar do Caribe que banha parte do país!

Afinal, como diz o slogan, "Colômbia, o único risco é você querer ficar!"

Então, para quem tem curiosidade de conhecer Cartagena (recomendo muito!) ou já está planejando uma viagem à cidade, seguem algumas dicas essenciais: 


COMO CHEGAR

Não há vôos diretos do Brasil para Cartagena. A Avianca voa para Cartagena com conexão em Bogotá e a Copa Airlines também oferece vôos, com conexão na Cidade do Panamá, conhecida como o "hub das Américas". 

Voamos para Cartagena com a Copa e foi uma ótima experiência. Sem contar o "plus" de ter algum tempinho de conexão em Panamá para algumas compras. 

Apenas para referência, fomos em abril/2014 (no feriadão da Páscoa/Tiradentes!) e pagamos pouco menos de R$800,00 por pessoa (já com as taxas) no vôo saindo do Rio de Janeiro. A passagem promocional foi comprada com quase 6 meses de antecedência. 


Aeroporto de Cartagena
CIRCULANDO NA CIDADE


  • Do aeroporto para o Hotel - Táxi! Os táxis de Cartagena não tem taxímetro, mas os valores são fixos por distância percorrida (entre bairros) e, geralmente, há uma tabela nos principais pontos de chegada dos turistas (aeroporto, terminal de cruzeiros...). Pagamos $12.000 pesos colombianos pela corrida do aeroporto até o bairro de San Diego. Espere pagar $15.000 pesos para o Centro e $20.000 para Bocagrande. ($1000 pesos ~ R$1,15 reais. Valores de abril/maio de 2014.) 

  • No Centro Histórico - A "cidade amuralhada" de Cartagena é relativamente compacta. Dá pra fazer tudo no centrinho a pé. Algumas atrações - como o Castillo San Felipe de Barajas - ficam um pouco mais distantes, mas nada que um táxi baratinho resolva! A corrida do Centro Histórico para o Castillo fica em $6.000 pesos colombianos. 


CÂMBIO

Não achamos muito fácil encontrar casas de câmbio no Rio de Janeiro que tivessem pesos colombianos para vender, e quando encontramos a taxa de conversão era bem desfavorável... Praticamente metade da taxa oficial! (mas confesso que não procuramos muito). 

A taxa de câmbio oficial em abril/maio de 2014 girava em torno de R$1,00 ~ $870 pesos colombianos. 

Fizemos a troca de alguns reais em uma casa de câmbio no centro histórico de Cartagena e pagamos R$1,00 ~ $730 pesos. 

CLIMA - QUANDO IR

Pela sua localização bem próxima à linha do Equador, Cartagena não possui estações do ano "convencionais". As estações se dividem entre seca/verão (de dezembro a março) e chuvosa/inverno (de abril a novembro). 

As temperaturas são sempre altas, durante todo o dia (oscilando entre 25ºC - 35ºC) e o clima sempre abafado, não importa a época do ano. 

Fomos no finalzinho de abril e não pegamos nenhum dia de chuva nos 8 dias que estivemos na Colômbia! Entretanto, os moradores (taxistas, funcionários do hotel, etc.) sempre comentavam que era uma situação bastante atípica, pois, segundo eles, costuma começar a chover em meados de abril... Inclusive, naqueles dias, o país estava passando por um racionamento de água...



 CUSTO-BENEFÍCIO

Não espere "pechinchas" e preços super baratos na Colômbia. Na verdade, os preços são bem parecidos com o dos grandes centros do Brasil, como Rio e São Paulo. Os únicos itens mais "em conta", na minha opinião, eram os táxis e os hotéis (se comparados aos preços astronômicos das diárias do Rio de Janeiro. Mas, em média, as diárias eram bem salgadinhas, no mínimo R$250 por quarto duplo). Demais itens, como compras, alimentação, entradas... Espere os mesmos preços do Brasil. 

- Diária no Centro Histórico - R$250,00 (por um hotel razoavelmente econômico); 

- Jantar para duas pessoas -  R$80,00 - R$120,00 (em média); 

- Almoço econômico (Menú del Día), para duas pessoas - R$30,00 (em média)


ALIMENTAÇÃO

O ponto forte da culinária de Cartagena são os peixes e frutos-do-mar. A culinária típica tem como pratos principais, além do pescado, o arroz con coco, patacones (banana verde, aberta e frita) e arepas (um bolinho feito de massa de milho moído, e frito).

As bebidas típicas são as variações de limonada: cerezada (batida com cerejas em conserva) e de coco (batida com coco ou leite de coco). As cervejas locais são a Club Colombia (lembra muito nossa Skol) e a Aguila (mais baratinha). 

Caso não goste da culinária local, sem problemas! Por ser uma cidade super turística, as opções de restaurantes internacionais são muitas... Tem desde pizza até carnes argentinas, restaurante peruano...





SEGURANÇA

Em geral, achei a Colômbia muito parecida com o Brasil (estivemos em Santa Marta e Cartagena). As pessoas, a atmosfera, a receptividade, os preços... E mais um item de similaridades na lista é... a segurança! 

É verdade que o país parece ter melhorado muito nesse quesito de uns anos pra cá, principalmente com o "fim" do narcotráfico e da guerrilha. Aliás, o Centro Histórico de Cartagena nos pareceu um lugar bem seguro. Em nenhum momento nos sentimos com medo de andar nas ruas, até mesmo à noite. Não havia mendigos, não vi assaltos ou "algo suspeito". 

Entretanto, é só sair da cidade amuralhada para ver a diferença... Na última noite na cidade, fomos "explorar" um pouco mais a área e acabamos nos afastando um pouco do centrinho, em direção à Getsemaní. Pronto. Foi coisa só de 1 ou 2 quarteirões para sentir uma grande diferença! Nada de turistas, alguns mendigos, botequinhos "pé-sujo" e gente mal encarada na rua. Então, é o seguinte. Dentro do centro histórico, pode relaxar mais. Se sair, todo cuidado é pouco!

Além disso, observamos outros probleminhas bem parecidos com o do Brasil! 

Ao redor dos bares perto da Torre del Reloj era impossível não notar a presença de prostitutas esperando por clientes...

E, em um bar, perto de outra grande área turística da cidade - a Plaza de San Domingo, um sujeito - que era funcionário do bar! - nos ofereceu drogas!!!! Ele se aproximou da gente e só falou "I´m from Jamaica. I´m the party man!" (Sou da Jamaica, sou o homem da diversão. Pra bom entendedor, meia palavra basta!). O meu marido riu e negou, apontando para a minha barriguinha de grávida... O sujeito pediu desculpas e disse que não tinha percebido... Mas durante o tempo que estivemos lá, deu pra ver ele oferecendo para mais alguns outros jovens, inclusive chegou a conseguir vender para um grupo de estrangeiros...

Noite no Centro Histórico. Super seguro dentro da muralha
Postar um comentário

instagram @oguiadeferias