#

Santiago do Chile: Um dia na neve

Quando reservamos as passagens para a viagem a Santiago do Chile, com viagem marcada para agosto deste ano, minha maior expectativa era, finalmente, "conhecer" a neve. 

Este é o desejo de centenas de brasileiros que desembarcam na cidade durante o inverno. Os guias de viagem chegam a fazer piada com a gente, mas é claro que ninguém se importa. O que importa mesmo é fazer esquibunda, jogar neve nos outros, fazer bonecos de neve, brincar, deitar e rolar!



QUANDO IR

Para ter certeza de uma experiência bacana na neve, é preciso ir no "pico de inverno", os meses de julho e agosto. 

Em junho e setembro, ainda há bastante chance, mas depende muito das condições climáticas. Tem ano que já começa a nevar cedo, enquanto em outros anos a temporada de neve só chega mais tarde. 

Por exemplo, agora em 2016, a temporada começou mais cedo (início de junho) mas quando fomos (meados de agosto) a neve já estava diminuindo bastante por conta de duas semanas de "tempo bom" que fez anteriormente.



PREPARAÇÃO - ROUPAS E ACESSÓRIOS

Não queria ficar com frio – óbvio – mas também não queria gastar “uma grana” para apenas um dia na neve. Ainda mais com um bebê / criança pequena que perde roupa tão rápido, seria um desperdício de dinheiro. Tentamos adquirir as roupas pensando no custo benefício.

No frio ou na neve, o importante é se vestir em camadas. Cada camada é com um material específico e possui uma função. Para as camadas superiores dá pra alugar nas estações, mas as camadas inferiores não estão disponíveis para aluguel, então tem que comprar no Brasil ou no Chile. Indico as lojas da Decathlon e Benevento, comprei pelo site no Brasil, as roupas não foram caras e são de boa qualidade, foram suficientes. 
 
Primeira camada ou segunda pele – A função da primeira camada é “impedir” que o corpo perca calor para o ambiente. Ela deve ser bem justa ao corpo, e cobrir todas as partes. Como uma “segunda pele” mesmo. Comprei na Decathlon esses modelos: feminino, masculino e infantil para blusa e feminino, masculino, infantil para calça.  O infantil eles somente tem a partir de 4 anos, meu filho estava prestes a completar 2 anos e como ele era “grandão” serviu. Caso contrário, teria que procurar pelo Chile mesmo. As roupas são com um material tecnológico e aguentam bem o frio. 



Segunda camada – a segunda camada é a parte mais “quente” do vestuário, normalmente o material é o “fleece” que é bem quentinho mas não muito volumoso. Para o meu filho comprei um fleece na Benevento (Tam 2 anos),  e para mim esse fleece da Decathlon. 




Terceira camada – é o casaco/sobretudo que vai em cima das outras camadas. Para uso na neve, o ideal é que o casaco seja de um material que, além de proteger do frio, também seja impermeável. As estações de ski e várias lojas em Santiago alugam roupas de terceira camada – calças e casacos. Fiquei com bastante dúvida com relação a essa parte do vestuário. Pensei em comprar (é um item que dura anos no guarda-roupa), pensei em alugar, mas no final, como não iríamos fazer esportes na neve, usamos um sobretudo que compramos em Londres, para uso na cidade. 

Nas pernas, optamos por calça jeans, que não é adequado para quem vai esquiar/praticar esportes na neve, mas como a gente só ia passear mesmo, não tivemos problema. Já para quem vai esquiar, o ideal é optar por uma calça impermeável por cima da primeira camada. Nas estações de ski ou na parada da van eles alugam. 

Sapato - Outro item "indispensável" no guarda-roupa de quem vai para a neve é um sapato/bota apropriado. Para o sapato, a característica mais importante é ser impermeável. Sem ele, o pé ficaria todo molhado (e frio). Assim como a terceira camada, este item também pode ser alugado em lojas/estações de ski, mas preferimos comprar os nossos. É um calçado que dura anos e vários amigos nos falaram que a qualidade das botas nas lojas de aluguel de ski no Chile são muito ruins. 

Então, optamos por comprar essa bota feminina e essa bota masculina , 100% impermeáveis, na loja da The North Face no Costanera Center. O valor das botas foi muito menor do que no Brasil, cerca de 65% mais barato do que aqui!!!

Para o meu filho, compramos uma bota "outdoor" na Colloky, também no Costanera Center, já que a The North Face não tinha botas no tamanho dele.

Acessórios -  Outra parte muito importante são os acessórios. Não adianta nada estar com 50 casacos e sentir frio no pé, na mão ou na orelha... Comprei essas meias adulto e infantil no Brasil, que são ótimas e foram suficientes. Não levei/comprei/aluguei gorros porque nossos casacos tinham capuz (não senti falta) mas "me dei mal" por estar sem luvas. =( Fiquei com as mãos super geladas mesmo! Então, recomendo não se esquecer deste item!

Aluguel - Para quem preferir alugar os itens, a média de valores é: S8000 pesos (cerca de R$40) por uma calça e casaco (terceira camada - cada item) e R$60 por uma bota impermeável. (Fonte: http://www.skiahorro.cl/arriendo.html). Lembrando que eles não alugam as peças de primeira/segunda camadas! 

Para crianças é muito difícil encontrar itens de vestuário para aluguel.


ONDE IR

Existem 4 estações de ski próximas de Santiago (cerca de 1h-1h30 de viagem). 

Três delas fazem parte do mesmo "complexo" e estão lado a lado: Farellones, La Parva e El Colorado, a aproximadamente 2500 metros de altitude.  

Farellones é a estação de ski mais antiga do país, a mais econômica e a mais popular entre os chilenos que querem "se divertir" na neve. 

Ela é normalmente a mais recomendada para iniciantes e a que oferece opções de entretenimento alternativos ao ski (como tubing, canopy, trenó, entre outros). A infraestrutura da estação é bem simples, mas conta com um restaurante/pub (onde almoçamos, mais detalhes no final do post). 

Por estar em uma altitude mais baixa, Farellones normalmente tem uma temporada de ski mais curta. Quando fomos - em meados de agosto - boa parte da neve na estação já estava começando a derreter. 



Mas a estação de ski no Chile mais famosa, glamourosa, estrelada, etc. etc. é realmente Valle Nevado, a 3200 metros de altitude. Essa é considerada a "melhor" e mais moderna estação de ski na América Latina. Um resort de ski. A estação possui a maior área de ski/snowboard da América do Sul, com várias pistas de diferentes dificuldades. Também conta com aulas (em grupo ou particulares) para adultos e crianças a partir de 3 anos de idade! É diversão para todas as idades. 



E para quem não quer/ não pode praticar esportes, pode optar por um passeio no recém inaugurado teleférico panorâmico (fechado). Ou então aproveitar para relaxar, tomar uma bebida ou "beliscar" algo no bar ou restaurante do complexo. 



Nós não fomos no teleférico por falta de tempo, mas como não era a nossa prioridade, não fez falta. 

Ah, e é claro que tanta infraestrutura se traduz no preço. Valle Nevado é cara.


COMO CHEGAR

Todas as agências de viagem, sites especializados, blogs, hotéis, etc. vão indicar a mesma coisa: contratar um transfer

A viagem de carro por conta própria pode ser muito perigosa. A estrada que leva às estações de ski é antiga e super estreita, as curvas (40 até Farellones e outras 20 até o Valle Nevado) são muito acentuadas. A situação fica ainda mais complicada com neve (é obrigatório o uso de correntes nos pneus neste caso), então para quem não está acostumado a dirigir nessas condições, a viagem por conta própria não é aconselhada, dado o risco de acidentes. 

Com relação ao transfer, há basicamente duas opções: Transporte compartilhado até uma estação de esqui específica (ida e volta no mesmo dia) ou um transporte compartilhado / tour de montanha "panorâmico" com paradas em Valle Nevado e Farellones. 

A primeira opção é ideal para quem vai fazer aulas / aproveitar os esportes de neve em uma estação específica. 

A segunda opção é perfeita para quem apenas quer ter um primeiro contato com a neve. Esta foi a nossa escolha, já que estávamos com uma criança ainda muito pequena pra fazer aulas de ski (Valle Nevado oferece aulas para crianças partir dos 3 anos de idade). Então ficamos com medo de "não ter o que fazer" num centro de ski por várias horas. 



 O PASSEIO PANORÂMICO NAS MONTANHAS

Fizemos o nosso passeio com a Turistour. A van da empresa nos pegou no hotel beeem cedo (pouco antes das 7hs da manhã) e, após passar em vários outros hotéis para buscar passageiros, nos levou até um ponto de encontro. Eu particularmente odeio passeios com agências, acho que se perde tanto tempo. Mas neste caso não tinha como fugir...

Do ponto de encontro, partimos por volta de 8:30hs da manhã num micro-ônibus  em direção à montanha. 

Logo na subida ainda teve uma parada em uma loja para aluguel de roupas / ir ao banheiro / tomar café da manhã. 

Por volta das 10hs da manhã chegamos, finalmente, na primeira parada do nosso destino. Se engana quem acha que foi Farellones. Tampouco Valle Nevado. A primeira parada foi no meio da estrada, entre as duas estações! 

A ideia é proporcionar aos turistas um primeiro contato com a neve. Ficamos "brincando na neve" por cerca de 45 minutos. Deu pra caminhar, fazer guerra de bolinhas de neve, e teve até gente (literalmente) rolando na neve. Eu, sinceramente, adorei. Acho que se o passeio acabasse por ali eu já estaria satisfeita =D 




Meia hora depois chegamos no Valle Nevado. A parada por ali é muito rápida, apenas 1 hora, o que é suficiente apenas para tomar uma bebida. Quem tem intenções de conhecer melhor a estação, pegar o teleférico, etc. deve optar pelo "transfer".



De volta à estrada, descemos a montanha com direção a Farellones. Em Farellones tivemos pouco mais de 3 horas para almoçar e aproveitar a estação. Quem tiver intenção de fazer várias atividades em Farellones, aconselho aproveitar a parada em Valle Nevado para um lanche. 



Por volta de 17hs saímos da estação com retorno à Santiago. Chegamos no hotel já depois das 19hs, super felizes com o dia. Pra gente o passeio valeu super a pena e era exatamente o que esperávamos, dada as nossas limitações: conhecer as montanhas de Santiago e principalmente, ter o primeiro contato com a neve.  

Observação final: Fizemos este passeio em um dia de semana, o que eu sugiro fortemente. Nos fins de semana as estradas pra montanha costumam ficar congestionadas, já que os santiaguinos aproveitam para subir às estações pra passar o dia. 
Postar um comentário

instagram @oguiadeferias