Planejando uma viagem com o bebê: 5 dicas essenciais

Quem nunca ouviu (ou repetiu) a frase: "vamos aproveitar para viajar agora, pois depois que vierem os filhos não vai ser mais possível...

Santiago do Chile: Visita à vinícola Undurraga


Um dos passeios “must-do” de qualquer turista que visita Santiago pela primeira vez é visitar alguma vinícola nos arredores da cidade. Mesmo para quem (acha que) não curte a bebida, a visita vale muito a pena para conhecer um pouco da cultura e economia do país. Afinal de contas, o Chile é um dos maiores produtores de vinho no mundo! A vitivinicultura (produção de vinhos) é um dos pilares da economia Chilena, que gira em torno de exportação de produtos agropecuários e mineração.

A princípio, quando estávamos montando o roteiro da viagem, consideramos visitar a emblemática Concha y Toro – a maior vinícola do mundo! Mas, como estávamos com uma criança pequena, acabamos optando por uma vinícola de menor porte, já que consideramos que seria mais confortável para a nossa família e teríamos uma experiência mais “autêntica”. Depois de algumas pesquisas e indicações de amigos, acabamos escolhendo visitar a Undurraga. 

COMO CHEGAR

A Vinícola Undurraga fica localizada na cidade de Talagante, região metropolitana, a cerca de 40km de distância do centro de Santiago. Essa região é conhecida como Valle del Maipo, a mais famosa e com maior número de vinícolas do país. 


Para chegar à vinícola, agendamos o passeio da Turistour . A viagem levou cerca de 1h/1h:30, contando o tempo de deslocamento do hotel até o “ponto de encontro” da agência, e de lá até a vinícola.

Para quem estiver de carro, o caminho é tranquilo, as estradas chilenas são boas e a Undurraga conta com estacionamento gratuito para visitantes.

Para os mais aventureiros, também é possível ir de transporte público, em uma itinerário que combina metrô e ônibus. O pessoal do Nós no Chile dá a dica aqui.

A VISITA

O tour guiado começa nos jardins da propriedade, onde o guia começa a explicar o “roteiro” da visita, que dura por volta de 1 hora e 15 minutos. O guia, aliás, é um dos grandes “destaques” do tour: um senhor super simpático e brincalhão que já trabalha há mais de 40 anos na propriedade e sabe como ninguém “conquistar” os “clientes” brasileiros – a maior parte dos visitantes na vinícola. 

Uma das partes mais interessantes – na minha opinião – é conhecer a história da uva Carmenère, variedade mais emblemática do Chile. No século XIX, uma praga (filoxera) dizimou grande parte dos vinhedos do mundo e as plantações de Carmenere, mais sensível à praga, desapareceram por completo e foram substituídas por outras castas menos sensíveis, como a Merlot.

Julgada extinta, a Carmenere foi redescoberta na década de 90 no Chile, por especialistas que, após alguns estudos, concluíram que parte das plantações eram da antiga variedade de Carmènere, e estavam sendo inadvertidamente misturadas com o Merlot.

Acontece que o Chile possui uma poderosa barreira natural: a leste a Cordilheira dos Andes, a oeste o Oceano Pacífico, a norte o Deserto de Atacama, ao sul os Glaciares e, conjugado com o solo rico em cobre, fizeram com que a praga filoxera não atingisse o país. Porém, como a vitivinicultura foi “deixada de lado” por muitos anos no país, ninguém “percebeu” que a carmenere ainda “existia” por lá.

O tour continua para a área das plantações. Durante o inverno é a época da entressafra, então as videiras estavam todas “secas”, sem folhas ou uvas. De qualquer modo, a vista é interessante e dá pra ter uma ideia da plantação. 


A Undurraga possui várias áreas de cultivo, tanto no Valle do Maipo quanto em outros “vales” no país. A área que visitamos, na sede da propriedade, é a menor área para cultivo, mas é para lá que toda a produção é transportada até ser maturada/engarrafada/etc.

Após, visitamos as caves onde os vinhos são maturados nos barris. 

No final acontece o momento mais esperado! Hehehe: a degustação. Na Undurraga são oferecidos 4 tipos de vinho para degustação: 

Começamos com o T.H., um sauvignon blanc, em seguida o Sibaris, um cabernet sauvignon, depois o Founder´s Collection, um carmènere e finalizamos no Late Harvest da Undurraga, um tipo de vinho beeeeem doce para ser degustado como “aperitivo”, ao fim da refeição. 

Em qualquer vinícola, a ordem da degustação é sempre essa. Sempre se começa com o vinho branco “mais fraco” e vai seguindo para os tintos “mais fortes”.

No final, ganhamos de presente as taças da degustação =) 


O tour, é claro, finaliza na loja da vinícola, onde é possível comprar, além dos vinhos, outros produtos como cremes para as mãos, sabonete, etc. tudo feito com as uvas. 



QUANTO CUSTA

O nosso tour com a Turistour custou $29.000 pesos chilenos por pessoa (cerca de R$150), já incluído transporte e o tour na vinícola com degustação.

Para quem vai por conta própria, o tour Sibaris da Undurraga, o que fizemos, custa $10.000 pesos chilenos por pessoa (cerca de R$50). O tour deve ser reservado com pelo menos 1 dia de antecedência.

Postar um comentário